“COLÔNIA – ALEMANHA”

A maioria dos visitantes de Köln, ou Colônia, fundada pelos romanos há 2000 anos, vem à cidade por causa de sua catedral, um dos mais belos e importantes monumentos góticos da Europa. Ela é o próprio exemplo de que é possível renascer das cinzas: Completamente destruída ao fim da 2ª guerra mundial, hoje a capital da Rheinland , além de ser uma moderna metrópole, está rodeada por um cenário privilegiado, entrecortado por históricos castelos medievais, convidativos vinhedos, e pitorescas vilas germânicas.

 

Como grande parte da cidade foi arrasada durante a 2ª guerra mundial e depois reconstruída, quase tudo por lá agora é novo. Entre as construções mais proeminentes, destacam-se os prédios construídos dentro do estilo germânico que enfeitam o centro da cidade. Colônia transformou-se num destino fashion dentro da Europa.

 

É uma cidade elegante, que costuma abrigar importantes conferências e convenções internacionais, além de festivais de ampla repercussão. Como se não bastasse, aqui também é realizado o mais importante Carnaval da Alemanha, talvez de toda Europa. Também surgiu aqui, em 1709, aquela famosa água perfumada que viria a correr o mundo, batizada logicamente, com o nome de Água de Colônia. A parte mais movimentada da cidade é em torno de sua catedral, onde estão também as principais ruas comerciais e a movimentada estação central de Köln, como a Hohe Strasse e Schildergasse.

 

Dizem que é impossível passar fome ou sentir sede em Colônia, pois há mais de três mil bares, restaurantes e cervejarias na cidade, o maior percentual destas localidades por habitante, em relação à qualquer outro lugar da Alemanha. Fazer um passeio pelo rio Reno, de navio é obrigatório, próximo ao centro da cidade existem diversas companhias turísticas, oferecendo passeios de uma hora, ou até viagens maiores pela região. Uma das mais conhecidas companhias fluviais é a Düsseldorfer, que organiza roteiros saindo do porto de Köln e seguindo pelo Reno, de onde se tem a chance de apreciar diversos castelos medievais em ambas as margens.

 

O ponto de embarque em Köln é no cais Franken, próximo ao centro. O Römisch-Germanisches Museum (Museu Romano Germânico), é um dos mais importantes da cidade, e abriga diversos objetos remanescentes do período em que Köln era ocupada pelos romanos, tais como cerâmicas e jóias utilizadas por seus primeiros habitantes. A principal peça em exibição no museu é o Mosaico de Dionísio, obra do século 3. Ela foi descoberta somente em 1941, quando estavam sendo escavados abrigos contra os bombardeios da guerra.

 

Este mosaico era parte do piso de uma antiga vila romana, e representa Dionísio, o Deus romano do vinho, um indício que, que já naquela época, a região do Reno era reconhecida pela boa qualidade de seus vinhos.  Agora, se em vez  de antiguidades romanas você prefere visitar um lugar, digamos, mais calórico, então vá direto ao Museu do Chocolate. Ocupando uma área de 2 mil metros quadrados, o belo prédio de tijolos e vidro conta a história da evolução do Chocolate, desde sua chegada da America, passando por sua adoção pelos nobres Europeus, até cair no gosto popular. Conhecido também pelo nome de Imhoff-Stollwerck Museum, o Museu do Chocolate, além de muito interessante é bastante saboroso, mesmo porque, durante a visita, pode-se provar vários tipos de delícias.

 

A famosíssima Dom, como é conhecida a catedral de Colônia, teve sua construção iniciada em 1248, mas 630 anos iriam transcorrer até sua conclusão. Mas muito antes, ainda no ano de 313, foi construído neste mesmo local uma igreja, por ordem do imperador romano Constantino, que havia acabado de declarar o Cristianismo como única religião oficial em todo império romano. Esta primeira construção viria a ser destruída pelo fogo em 850. Imediatamente após o incêndio é iniciada a construção de outro templo religioso no mesmo local.

 

Mas o ponto decisivo da história da Catedral de Colônia acontece em 1163, quando, por iniciativa do arcebispo Reinald von Dassel são trazidas para a cidade as relíquias deixadas pelos três reis Magos, Baltazar, Belchior e Gaspar, os mesmos que seguiram a estrela até o berço do recém-nascido menino Jesus. Eram relíquias importantes demais para serem preservadas em qualquer local, e decide-se então que é necessária a construção de uma grande catedral, como até então nenhuma outra havia sido construída, o que acabaria dando à Colônia o status de centro religioso Europeu. Uma das melhores vistas que se pode obter, não apenas de Köln, mas também da região próxima à cidade e do rio Reno, é à bordo das pequenas gôndolas coloridas que cruzam o rio. Elas são tão antigas quanto simpáticas, pois sua  inauguração data dos anos 60, mas até hoje não existe nada melhor para um passeio sobre o Rhein.

 

O teleférico Rhein-Seilbahn tem como ponto de partida o zoológico da cidade, próximo à Cologne-Riehl, e ao longo de seus quase mil metros de extensão, dentro das cabinas de 2 ou 4 lugares pode-se fazer um agradável vôo até o outro lado do Reno. Além da Catedral, a principal atração da cidade, Colônia tem ainda 12 outras importantes igrejas do período Romanesco, todas situadas dentro da área da cidade medieval, e que nos relatam toda a riqueza da história e cultura desta região, dentre as quais as de São Pantaleão, construída em 980, local do mais antigo claustro em arcadas da Alemanha; São Gerdau, de forma elíptica, onde estão as tumbas deste santo e diversos outros mártires, além de mosaicos do século 11 e São Severino,  fundada no século 4 e restaurada durante os séculos 13 a 15. A vista mais famosa da Colônia, é a ponte ferroviária sobre o Reno com a catedral Dom ao fundo.

 

Como em toda Alemanha, também aqui a  noite é super animada, e quem quiser aproveitar as atrações que ela oferece deve se dirigir à área próxima à Gross St. Martin, região da Altstadt (cidade antiga), que é mais light, e costuma ser freqüentada por turistas à procura de música e bares familiares. Já quem quiser fugir do óbvio e não se incomoda de caminhar um pouco mais pode ir até os bares situados nos  bairro Lateng ou St. Severin, que costumam ser preferidos pelos moradores da cidade.

 

Dizem que, ao final da segunda guerra mundial, apenas a famosa catedral da cidade foi poupada pelos bombardeios aliados, uma prova irrefutável de sua importância histórica e religiosa. Mesmo assim, é difícil  acreditar que quase toda esta cidade tenha sumido sob os escombros da guerra, pois nada mais da destruição ocorrida há 50 anos pode ser visto. O que agora pode-se encontrar em Köln, isto sim, é uma das maiores cidades da Alemanha, com quase dois milhões de habitantes, importante pólo industrial e comercial, com muita cultura, arte, um alegre carnaval e muita cerveja de primeira qualidade!