“LONDRES – INGLATERRA”

Uma caminhada por Londres revela cabelos de todas as cores, roupas de todos os estilos, executivos de cartola e guarda chuva no braço, soldados vestidos como no tempo de Henrique VIII, carruagens reais, indianos, árabes, tribos punks, darks e simpáticas velhinhas que se reúnem para o chá das 5. O equilíbrio (ou disputa?) entre  tradição e modernidade: De um lado o poste da estação de metrô Westminster, a mais moderna da cidade, e que dá acesso à um mundo subterrâneo de alta tecnologia. E ao lado a torre do Big Ben, que há 150 anos permanece marcando as horas da mesma forma, com as mesmas monótonas badaladas e mesma conhecida melodia. Num lugar com tantos contrastes, é impossível ficar indiferente ao que acontece à sua volta. E justamente por tudo isso e muito mais, Londres é a cidade preferida pela maioria. Londres não é uma cidade que cause amor à primeira vista, como Paris ou Veneza.

 

Ela é como aquela paixão  que nasce aos poucos, sem você se dar conta, e que de repente, quando você percebe, não sai mais de seu pensamento. Londres não tem largas avenidas, o trânsito é terrível, e o clima não é exatamente ensolarado. Mas quem se dispuser a conhecer a cidade a fundo,  vai descobrir um lugar de vida pulsante, super animada, repleta de boas atrações, e uma infinidade de programas de todos os tipos, para todos os gostos.

 

E vai descobrir também que aquela história de povo frio e indiferente não passa de uma lenda. A verdade é que em nenhum outro lugar do mundo tem um povo  tão amigável e simpática. O rio Thames, os prédios do parlamento  e a torre do Big Ben formam a imagem mais conhecida da cidade incrível, e os Ingleses gostam de dizer que este é o relógio mais fotografado do mundo. Conta-se que o nome Big Ben surgiu graças à Sir Benjamin Hall, engenheiro responsável pela construção do Palácio de Westminster, em 1855, e que por ser grandalhão, era conhecido como Big Ben. Dizem que Sir Benjamim resolveu gravar seu apelido no sino de 13 toneladas, a ser instalado no topo da torre mais alta do palácio de Westminster. Logo, todos já se referiam ao grande sino como Big Ben.

 

Bastaram mais alguns anos para que a famosa torre de 93 metros de altura de Westminster passasse a ser também conhecida, em todo o mundo, como Big Ben. Todo passeio em Londres deve incluir a  Oxford Street, área central e o coração comercial de Londres, com lojas de todo tipo, e um movimento frenético.  O detalhe que a torna ainda mais especial são as filas dos tradicionais ônibus vermelhos, que vão daí para todos os pontos da cidade, e são uma unanimidade na preferência dos turistas.  London Tower é a mais famosa atração turística e histórica de Londres. Foi após a invasão e conquista da Inglaterra por William,  em 1066, que foi iniciada sua construção.

 

Com o passar do tempo, a medida que outras fortificações, torres e muralhas eram construídas em volta daquela primeira edificação, a construção central passou a ser chamada de White Tower (torre branca) e o nome London Tower passou a ser utilizado para designar todo o castelo construído em volta da White Tower. A utilização de Torre de Londres como residência real só começou em 1216, graças ao rei Henry III. Ele decidiu construir, entre a White Tower e a margem do rio, um confortável palácio. Na época medieval, a torre passou a servir também como prisão. Lá eram mantidos desde desordeiros comuns até nobres revoltosos e perigosos inimigos políticos que ameaçavam o poder do rei. Uma visita à Londres sem conhecer este monumento nacional não estará completa.

 

Lá está em exibição permanente a maior exposição de armas e armaduras medievais do mundo. Lá está também a exposição de jóias da coroa inglesa, com brilhantes, o maior diamante do mundo, e peças em ouro maciço imensas. Completam a exibição apresentações de filmes, shows ao vivo com personagens da história da Inglaterra, e tours guiados pelos famosos Beefeaters (guardas da torre, ainda vestindo os mesmos uniformes vermelhos do período Elizabetano).
Londres é repleta de excelentes museus.

 

O British Museum, um dos mais famosos do mundo,  Imperial War Museum, onde há sempre exposições históricas,  os foguetes V1 e V2, que durante a 2ª  grande guerra, eram lançados na cidade pelos nazistas. Uma trinca imperdível de museus é formada pelo Victoria & Albert Museum(tesouros, peças históricas, e  exposições com objetos antigos de várias civilizações), Natural History Museum(história natural), e Science Museum (dedicado à todos os ramos da ciência e tecnologia). Os três museus são quase ao lado um do outro, e merecem ser visitados. O incrível Museu de Cera de Madame Tussaud, onde estão figuras de cera de diversas personalidades conhecidas.

 

Elas são tão perfeitas que só faltam falar, por isso não esqueça de levar  sua máquina para bater fotos ao lado dos Beatles, Henrique VIII e suas seis mulheres, Papa João Paulo II, Airton Senna, Sarah Michele Gellar, Elton John, Antony Hopkins, Ghandi, Arnold Schwarzenegger,  Hugh Grant, Fidel Castro, Napoleão Bonaparte, Pelé, Marilyn Monroe, Família Real Inglesa, com a rainha Elizabeth e a princesa Diana, e outras personalidades famosas. As tradicionais construções feitas totalmente de tijolos são uma das marcas registradas da cidade, e  podem ser vistas em todo lugar, com suas janelinhas e cortinas de renda branca. Em certos bairros você tem a nítida impressão de ter voltado no tempo e estar passeando no século 19. O  Royal Albert Hall, considerada  a maior casa de espetáculos de Londres, embora tenha uma aparência clássica e sóbria, nele costumam se apresentar freqüentemente algumas das mais famosas bandas de rock do planeta. The Royal Guard (Guarda Real) é o regimento mais conhecido do exército inglês, devido ao famoso uniforme composto de jaquetão  vermelho e chapéu de veludo preto.

 

Esta unidade é responsável pela guarda dos palácios de Buckingham, Saint James e castelo de Windsor, todos residências oficiais da família real. O melhor momento para vê-los em ação é durante a tradicional troca da guarda, evento que se tornou uma  atração turística. Ela ocorre  todos os dias às 10:30 horas, em frente ao Palácio de Buckingham. Durante a cerimônia, um regimento chega marchando, assume a guarda do palácio, e o regimento anterior vai embora também marchando, ambos precedidos por bandas militares.

 

A cerimônia dura cerca de 30 minutos. A imagem destes soldados se tornou um ícone tão conhecido de Londres que eles estão em todos locais. Na impossibilidade de bater uma foto de braços dados com um dos guardas autênticos, fica valendo o soldado de pelúcia existente na  Mothercare, tradicional loja de roupas para crianças. A Harrod´s é a mais famosa loja de Londres, uma autêntica instituição britânica. Seu prédio de 7 andares, ocupa todo um quarteirão, e lá eles se orgulham de vender de tudo, de agulhas até aviões.

 

A Harrod´s tem 330 departamentos, 5.000 funcionários, seu próprio banco, vende 2000 tipos de queijos de todas as partes do mundo e passear por seu prédio, e ver tudo aquilo é divertido e interessante. Embora muito luxuosa, a Harrod's quer mesmo é atrair turistas. O proprietário da loja é Mohamed al-Fayed, pai de Dodi, último namorado da princesa Diana. Bem em frente à London Tower, fica a  Tower Bridge, mais famosa ponte de Londres. É possível pegar um elevador, subir por uma das duas torres, e visitar a exposição existente no último andar, depois, atravessando pelas passarelas suspensas, tem-se uma vista ótima da cidade, sendo a descida feita pela outra torre.  No subsolo da ponte, pode-se conhecer suas antigas engrenagens, agora transformadas em museu, e ver como funcionava o mecanismo que erguia as duas plataformas móveis para os grandes navios passarem.

 

Desde 1689 o Reino Unido é regido por um sistema de monarquia constitucional, onde o rei ou rainha exerce o papel de  chefe de estado, mas na realidade não manda nada. Todas as decisões são tomadas pelo Parlamento, liderado pelo primeiro ministro. Este sistema foi adotado após a guerra civil inglesa, único período em que a monarquia foi abolida. Após a guerra civil a monarquia foi restaurada com poderes limitados, sistema que perdura até hoje. Desde a restauração da monarquia a Inglaterra passou por diversos períodos, como Tudor, Stewart, Georgiano e Vitoriano, assim chamados em referência à linhagem familiar de cada ocupante do trono.

 

Elizabeth II, atual rainha, é uma Windsor. Dentre todos estes períodos, um ocupa lugar especial na memória da nação, por sua prosperidade e elegância das vestimentas: O Período Vitoriano, entre 1837 e 1901. A catedral de Saint Paul, a mais famosa da cidade, enorme, cheia de estórias e local do casamento da princesa Diana.