“PARIS – FRANÇA ”

         Paris! A Cidade Luz, chegar a esta cidade sem sentir uma forte emoção batendo no  peito é difícil. Tudo em Paris dá a impressão de harmonia, arte, charme e cultura.
         A Torre Eiffel!  Nem o conhecido mau humor dos  parisienses consegue estragar a emoção da chegada. Paris supera-se a cada ano, inventa novas atrações, aperfeiçoa as existentes, cria feitiços e sempre acaba seduzindo seus visitantes. Na mesma cidade diversos pontos turísticos tradicionais, como a Torre Eiffel, Arco do Triunfo, Museu do Louvre e Catedral de Notre Dame. Além destas visitas obrigatórias é interessante  permanecer  na cidade algum tempo a mais,  para conhecê-la mais intimamente, com calma. Paris é dividida em arrondisements, e uma boa forma de conhecer a cidade é dedicar uma manhã ou tarde a cada uma destas regiões, caminhando e deixando-se levar pelo que vier pela frente. A Avenida  Champs Elysées, é a principal da cidade, estende-se por aproximadamente quatro quilômetros, ligando, na  extremidade à oeste, o Arco do Triunfo (situado na Place Charles de Gaulle) até, na extremidade leste, o largo conhecido como Place de la Concorde. Ao longo da avenida Champs Elysées estão dezenas de lojas, restaurantes, galerias, lojinhas de fast food, a casa de  shows “Lido” e principalmente, gente de todo tipo. Esta é a principal passarela de Paris. Depois de atravessar o largo conhecido como Rond Point a avenida passa a ser  ladeada por um agradável jardim, com diversos quiosques oferecendo água, sorvetes etc. Voltando ao Champs Elysées e continuando a  caminhada pelo jardim chega-se à Place de La Concorde, outro dos pontos nobres de Paris. Durante a revolução francesa aqui eram executados os condenados à guilhotina, e por isso seu primeiro nome foi Place de la Revolution. Este é um ponto nevrálgico da cidade, e está sempre cercado por um trânsito frenético e dezenas de ônibus turísticos, despejando centenas de visitantes por hora no coração da cidade. Depois de atravessar a Place de la Concorde chega-se aos portões de entrada  do Jardin des Tuilleries. Aqui se tem duas alternativas, pode-se cruzar os portões e seguir caminhando pelos belos jardins deste parque, ou então seguir pela rua paralela, a badalada Rue de Rivoli. Sob os clássicos prédios construídos lado a lado e suas elegantes arcadas estão alinhadas dezenas de lojas oferecendo tudo que um turista pode desejar. O museu do Louvre o maior do mundo com sua enormidade não é possível  ver todas obras em exibição em apenas uma visita. Conta-se que, quem apreciasse cada obra durante somente um minuto precisaria de uma semana para ver todo o acervo. Mesmo assim, não deixe de ver suas principais obras, entre elas a pintura símbolo do museu, a Mona Lisa. A construção da pirâmide do Louvre foi parte de um audacioso projeto de revitalização, destinado a preparar o Louvre para o terceiro milênio, e as obras duraram anos. Como parte dos serviços, todo o subsolo do museu foi transformado num shopping, onde pode-se comprar, entre outras coisas, livros, reproduções em diversos tamanhos das principais obras expostas, e ainda fazer uma refeição no Carrousel du Louvre, o setor de alimentação do museu.
No subsolo o ponto onde o vértice das duas pirâmides de vidro quase encostam uma na outra, local  que serviu à uma das cenas do megasucesso O Código da Vinci.
A Montmartre começa pela Église du Sacre Coeur, do alto das  escadarias, em dias claros, tem-se uma boa vista de Paris, com possibilidade de subir até o mirante da igreja. Próximo a este local está  a Place du Tertre, o coração de Montmartre. Esta praça é ocupada pelas mesas dos restaurantes em volta e por pintores, trabalhando em meio ao público. Também são freqüentes artistas pintando retratos dos turistas, em óleo ou carvão.
A Place Vendôme  é rodeada de prédios de fachada uniforme, construídos durante o reinado de Luiz XIV, e o conjunto é de uma elegância ímpar. Todos os prédios são ocupados por lojas sofisticadas e caríssimas, inclusive o Hotel Ritz, último endereço da Princesa Diana. Vale a pena lembrar que a Rue Saint Honoré é o endereço de algumas das melhores casas de alta costura e perfumarias de Paris.
Avenue de l'Opera em direção à Opera. Toda avenida é ladeada por elegantes prédios residenciais, lojas de grife e renomados cafés e restaurantes. Dominando a avenida está a imponente fachada do prédio da Opera de Paris. Em determinados dias e horários, o salão está aberto para visitas. Circundando o prédio chega-se à área conhecida como a dos Grands Magazins, onde estão as lojas lançadoras de moda, situadas no Boulevard Hausmann, sendo interessante percorrê-las. Merecem destaque os setores de perfumaria de ambas, situados nos pavimentos térreos
Próximo  a Printemps e a Galleries Lafayette,  na direção leste pelo Boulevard Montmartre pode-se conhecer  a versão francesa do  museu de cêra de Madame Tusseau, com interessantes exposições representando vultos e momentos importantes da história francesa. Embora as figuras não sejam tão bem feitas quanto as de Madame Tusseau, são interessantes e valem a visita. O bairro da Defense,  é  exatamente a antítese da Paris clássica que nos acostumamos a ver em fotos e filmes. A Defense é um conjunto de torres empresariais, largos espaços públicos, áreas pavimentadas e ajardinadas, sem qualquer movimento de veículos (o trânsito e estacionamentos são todos subterrâneos). O que dizer de Notre Dame de Paris? A história da cidade e sua catedral  são  inseparáveis. Embora a construção desta catedral tenha sido iniciada apenas no século XII, este monumento incorporou-se de tal forma a Paris que parece sempre ter estado ali. Desde a ocupação romana, já havia um templo dedicado a Júpiter neste mesmo local. Alguns séculos mais tarde, com o surgimento do Cristianismo, foi erguida no mesmo endereço uma basílica em estilo romanesco. Apenas em 1163 é iniciada a efetiva construção desta catedral. Na época, Luis VII era o imperador da França, e tinha como objetivo construir uma catedral à altura da importância da França e de sua capital. Para tanto fez questão até de convidar o Papa Alexandre III para vir a Paris colocar a pedra fundamental da obra. Em 1182, o coro da catedral já estava pronto e outros elementos arquitetônicos seriam executados com o passar das décadas e séculos seguintes
Em frente à Notre Dame, conhecido como Parvis está a escada que dá acesso às fundações de Lutecia, a vila que deu origem à Paris. Encontrada graças ao trabalho de arqueologistas, aquelas muralhas e paredes construídas antes de Cristo são o que restou da primeira comunidade construída na Ile de la Cité, pelas tribos Celtas denominadas Parisii.
Nas margens do Sena, o imponente palácio da Conciergerie, que também pode  ser visitado. Durante a revolução francesa foi neste local que Maria Antonieta foi aprisionada até o dia de ser enviada para a guilhotina.
Próximo desta área está  o prédio do Hotel de Ville o belíssimo prédio da prefeitura   O amplo espaço a sua frente costuma ser um dos locais preferidos dos parisienses para se reunir em grandes eventos, como comemorações esportivas, shows, etc.