“ROMA – ITÁLIA”

Conta uma lenda que certa vez um homem muito cruel atacou o pai de dois gêmeos, o aprisionou, raptou seus dois filhos e os  abandonou na floresta para morrerem. No entanto o choro das crianças atraiu a atenção de uma Loba que os encontrou e decidiu levá-los e amamentá-los como se fossem seus filhotes. Um dia um camponês passava pela floresta, viu as duas crianças mamando na Loba e decidiu levá-las e batizá-las com os nomes de Rômulo e Remo. Muitos  anos depois, já adultos, eles foram à procura de seu pai, o encontraram, libertaram e puniram o homem que o havia aprisionado.

 

Depois voltaram para o lugar próximo às margens do rio Tevere, onde a Loba os tinha amamentado por tantos anos, e decidiram que aquele deveria ser o lugar de uma nova cidade. Esta cidade foi fundada no dia 21 de abril do ano 753 antes de Cristo, e o nome para ela escolhido foi Roma. Construído às margens do rio Tevere, o Castelo de Santo Ângelo foi construído a partir do ano 139, e tem este nome porque, no ano 590 um anjo surgiu no prédio, para anunciar que a peste que atacava Roma logo acabaria. Durante a época medieval esta foi a mais importante das fortalezas pertencentes aos Papas, mas serviu também como calabouço e prisão para muitos patriotas, na época dos movimentos de unificação da Itália ocorridos no século 19.

 

De seu terraço superior, tem-se uma vista linda do rio Tevere, dos prédio da cidade e até mesmo do domo superior da Basílica de São Pedro, no Vaticano. A Piazza Di Spagna é um dos locais mais conhecidos de Roma. A vista que se tem  do alto destas escadarias é uma das melhores da cidade, o que fez deste local uma escolha freqüente de muitos diretores de cinema. Este é um local tradicional de encontro de gente jovem, turistas, e artistas de rua, que costumam se reunir em torno da Fontana della Barcaccia, na base desta escadaria, ou nas ruas em volta, para papear ou ficar de azaração. A igreja do topo, Trinità dei Monte, foi construída em 1495, e contém muitas obras de arte. Perto desta praça fica também outro ponto importante da cidade, a Via Condotti, uma das ruas mais elegantes de Roma, onde ficam várias lojas de griffe, além do mais tradicional dos cafés da cidade, o Caffé Greco. Outra caminhada muito agradável é percorrer a badalada Via del Corso, uma das mais movimentadas artérias de Roma, que segue desde o Vittoriano até a Piazza del Popollo (Praça do Povo), que de praça não tem nada, mas é sem dúvida um dos endereços mais concorridos de Roma. Vale a pena uma ida, nem que seja para tomar um gellato. De todos os lugares históricos de Roma o mais conhecido é sem dúvida o  Coliseu.

 

Neste local muitos cristãos foram lançados às feras. Sua construção foi iniciada pelo imperador Vespasiano no ano 72, sendo inaugurado oito anos depois. O prédio tem forma elíptica, medindo cerca de 200 por 160 metros e com paredes de 60 metros de altura (um prédio de 20 andares). De acordo com os registros históricos, nos 100 dias de espetáculos de sua inauguração, milhares de gladiadores e feras foram mortos. Este local sempre foi considerado como o maior símbolo da Roma Imperial e na comemoração dos 1000 anos de Roma, no ano 246 da era cristã, foram trazidos para o Coliseu 32 elefantes, 30 leões, e muitas zebras, girafas e tigres, para enfrentar 2000 gladiadores, numa festa que durou meses. Infelizmente, com o passar do tempo, parte do prédio foi derrubado por terremotos, e diversos outros trechos foram desmontados para que suas pedras fossem aproveitadas em outras construções da cidade.

 

Só após muitos séculos é que foi dada a devida atenção à este local, monumento vivo da história de Roma, do Cristianismo, e do mundo. Um dos pontos mais agradáveis e românticos de Roma é a  Piazza Navona, usada na Roma Imperial para corridas de cavalos, ou inundada para a realização de batalhas navais. Rodeada de prédios históricos e simpáticos bares com mesas nas calçadas. Nesta praça ficam as lindíssimas fontes - fontanas - de Fiumi,  Moro e Nettuno. Ninguém pode se dar ao luxo de visitar a cidade sem ir até a  Fontana de Trevi, a mais famosa fonte de Roma, e jogar nela uma moedinha, para assegurar que um dia voltará à cidade eterna. Sua origem vem desde o século 19 antes de Cristo. Aqui era o ponto final de um aqueduto responsável pelo abastecimento da cidade. De acordo com o ritual romano, a forma correta de se jogar uma moeda na Fontana di Trevi, e com isto assegurar que você um dia  voltará à Cidade Eterna é ficar de costas para a fonte, segurar a moeda com a mão direita, e jogá-la para trás, com um movimento sobre o ombro esquerdo.

 

Não se deve olhar para a moeda, mas por via das dúvidas peça para um amigo ou amiga conferir se ela caiu mesmo na água. Uma visita à Roma sem uma ida ao Vaticano não estaria  completa. Geralmente às  quartas-feiras é dada a benção papal, quando o Papa chega até a janela para saudar a multidão.  Há muito para visitar no Vaticano, com destaque para a própria Basílica, o Museu, e a famosa Capela Sistina, onde se pode apreciar os deslumbrante afrescos pintados no teto, de autoria de Michelangelo.